terça-feira, 12 de abril de 2011

Just because yes

Essa tua maneira de levares a vida, tão leve, tão banal, seduz-me e faz-me sonhar.
Farei eu parte desse teu mundo? Desse mundo em que me perco tantas e tantas vezes, entre gritos e olhares, entre pensamentos e realidades. O que será realidade em nós? O que ficará da nossa história? És como um pássaro, voas por mundos que nunca quererei para mim e no fim, é sempre em mim que vens pousar. Calmo e sereno, sabes como eu gosto disso ao fim do dia. Tenho tanto para te dizer e sinto que hoje estás mais distante que nunca. Alcançar-te? Impossivel. Ter-te? Sempre tive.
Não é o tempo que nos tens de ajudar, somos nós. Sei que no fim ficarás comigo, mas quando será esse fim? Quando é que chegaremos à meta?

4 comentários:

  1. eu não consigo (mas invejo quem consegue) ter toda essa leveza!

    ResponderEliminar
  2. "Tenho tanto para te dizer e sinto que hoje estás mais distante que nunca. "

    Ha dias assim!

    ResponderEliminar